PROJETO CHAPAS

Este foi o projeto desenvolvido com chapas para a matéria de Pratica Projetual I da Pontifícia Universidade Católica ministrado pelos professores Paulo d'Assumpção Zaniol e Roger Rieger.

Este projeto consistia em criar objetos simples utilizando chapas.

Projeto de Porta-vinho de Alexandre M. B. Soares e Rafael Garcia de Camargo


Projeto de lixeira de borda de Roger José Mafra Burda


Porta-0bjetos desenvolvido por Rubens Valdir Back
Porta-vinho de Camila Rodrigues da Silva e Thenylli Rosso

Outros projetos desenvolvidos:


DIA NACIONAL DO DESIGNER




O dia mundial do designer é no dia 27 de abril - data de fundação do Icograda). No Brasil, cresce cada vez mais a quantidade de designers gráficos e, pelo que eu vejo, o aumento pela profissionalização desta categoria já reconhecida mundialmente, infelizmente, essa categoria ainda não é tão valorizada no Brasil.
Aloísio Magalhães, nascido em 5 de novembro de 1927.
Sendo um dos designers mais importantes de sua época, Aloísio desenvolveu projetos conhecidos nacional e internacionalmente, como a identidade visual da Petrobrás (alterada há alguns anos), o desenho das notas do cruzeiro novo e o símbolo do IV Centenário do Rio de Janeiro.


Segue abaixo como se deu a criação desse dia no Brasil:


No dia 19 de outubro de 1998, o então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, assinou um decreto instituindo o dia 5 de novembro como o Dia Nacional do Design, que começou a vigorar a partir da data de sua publicação no Diário Oficial, o dia 20 de outubro do mesmo ano.


Esta data foi instituída em homenagem a um defensor do design no Brasil, o advogado, artista plástico, designer e planejador brasileiro



Participou do grupo de vanguarda “O Gráfico Amador” em Recife, na década de 60. Na mesma época, ganhou os principais concursos brasileiros de desenho de símbolos. Em 1962, participou da criação da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) e, em 1980, assumiu a Secretaria de Cultura do MEC.


Alóisio Magalhães sempre defendeu conceitos como a “brasilidade” do design e a recuperação da memória artística e cultural brasileira e foi sem dúvida, uma das figuras mais importantes da história do design brasileiro.
Entre seus trabalhos, o design das notas do cruzeiro novo é um dos mais conhecidos. Aloísio acabou com o conceito de “pé” e “cabeça” do dinheiro, criando uma moeda individualizada e reconhecida como inovadora mundialmente e influenciando todo modo de produção monetário no Brasil desde então.


O design brasileiro e a indústria nacional têm muito a agradecer ao empenho de Aloísio Magalhães, pois foi por esforço dele que hoje podemos identificar um avanço no entendimento do significado do design pelo empresariado. Este entendimento vem se reafirmando pelos resultados vivos obtidos pela indústria nacional através da efetiva inserção do design nos processos produtivos como ferramenta fundamental no desenvolvimento de seus produtos e, pela sensível percepção dos resultados traduzidos na rentabilidade da produção, na racionalização de processos, na melhor adequadação de materiais e na preocupação com o impacto dos produtos no meio ambiente.A mistura de todos estes fatores remete a uma produção caracterizada pelos diferenciais necessários para o aprimoramento do padrão de qualidade do produto nacional e para o bom desempenho na sua comercialização nos mercados interno e externo.


A busca pela “brasilidade” nos produtos como identidade começou com a visão futurista do designer Aloísio Magalhães e vem se reafirmando a cada dia através do esforço dos profissionais de design e do bom entendimento da indústria.


Confira, abaixo, o decreto que instituiu o Dia Nacional do Design:


DECRETO DE 19 DE OUTUBRO DE 1998
Institui o “Dia Nacional do Design”, e dá outras providências.O PRESIDENTE DA REPÚBLICA , no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso II, da Constituição, DECRETA:Art 1º Fica instituído o “Dia Nacional do Design “, que será comemorado no dia cinco de novembro de cada ano.Art 2º Caberá ao Comitê Executivo do Programa Brasileiro do Design - PBD a coordenação das atividades relacionadas à comemoração do “Dia Nacional do Design”.Art 3º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.


fonte: realdesignez.alojagratis.org


Então não resta dúvidas, parabéns a todos os designers! Aproveitem o seu dia!

TENDÊNCIAS DO DESIGN



Design ainda é a grande diferença.


A todo momento se discutem tendências, mas nem sempre se chega a algum lugar. É lógico que o fato de se discutir já é uma reflexão positiva e orientadora dos caminhos que acabam sendo tomados e, portanto o discutir, questionar e reinventar é na verdade a grande tendência.


Porém antes de analisarmos as tendências do design, sabemos que a importância dele cresce a cada dia. Com a customização de produtos, a massificação das marcas, o alinhamento das tecnologias e a globalização dos costumes, entre outras influências como a economia e a renda da população - que cai no Brasil, mas sobe no primeiro mundo - sabemos que a diferença mesmo ficará cada vez mais ao encargo do design. Tanto na inovação formal, quanto na renovação e adaptação dos produtos às transformações dos hábitos, perfil e biotipo da sociedade de consumo. Alguns caminhos já podem ser sentidos e que vão transtornar o mercado nos próximos 10 anos.


A obesidade é uma epidemia sem precedentes, silenciosamente vai "alargando" o mercado, móveis, roupas, meios de transportes, o lazer, o turismo, enfim, muita coisa deve ser ajustada sob pena de: se não servir, não se consumir.


A juventude chega aos 50 anos. Afinal ninguém quer ficar velho e muito menos parecer velho. Assim o mercado de saúde, roupas, esportes, academias, e outros destinados à manutenção da forma física é um grande e cada vez mais crescente filão. Se a química e a medicina vão mantendo a função, o design não pode deixar a peteca da forma cair.


Mulheres no poder, mudam as coisas. Elas querem mais, melhor, mais prático, simples e barato. Porém sutil, sofisticado, sensível, suave e com valor. Tudo bem. Nós homens, concordamos com "quase" tudo, só que elas tem um jeito especial de ver as coisas e nós temos que aprender com isso.


A tecnologia bate à nossa porta, invade nossa casa, muda nossos hábitos, nossas despesas, concorre com nossa liberdade e nos faz escolher, entre comer mais ou falar menos no celular. Ir ao cinema ou comprar um computador novo. Ver um show daquela grande banda ou ver o show que é navegar em banda larga. Wired ou wireless. Top less ou Laptop. High tech ou high touch.


A segurança ou a insegurança também é outro fator alarmante. Por estarmos cada vez mais inseguros, com o crime ou com o terror, investimos em câmeras, alarmes, películas e as mais variadas proteções para ver se ficamos mais protegidos, invisíveis, discretos, vendo tudo ser sermos vistos. BBB full time...


Assim também cada vez mais se trabalha em casa, cada vez mais o trabalho se parece com a nossa casa, ou nossa casa vai ficando com cara de escritório. Escrevo este artigo agora, às 20 horas, do meu escritório... que já está virando a minha casa. O mercado SOHO - Small Office and Home Office - é fato na arquitetura, no mobiliário, nas telecomunicações, no vestuário, nos eletrodomésticos e na gente.


Cidades grandes, carros pequenos, ônibus, trens e aviões maiores, mais capacidade em menos volume, mais carga em menor tamanho. Vida loca. Música, Moda, Movimento, Mundo. Cada vez mais igual e ao mesmo tempo sendo e tendo que ser diferente. Neste ritmo frenético com que cara as coisas vão ficar? Com a cara que o designer der.


Contato:

Roger Rieger - Designer, consultor de Marketing e diretor da Rieger brand marketing e Kommdesign. www.brandcare.com.br

CHARNEIRA 2009




A Charneira começou este ano com a presença da empresa de Design Questo de São Paulo, mostrou como é difiicil fazer design no país, e como um design ter que ser verdadeiramente além de apenas um design mas um empreendedor. O design e a administração andam lado a lado, juntamente com as metolodogias que são amplamente difundidas no curso desenho industrial.


O mundo canibal também esteve presente com a presença de Ricardo Piologo onde foi contado muitas histórias do surgimento do site, como criaram as sátiras, e como surgem tantas idéias insanas. O evento estava lotado. Realmente compareceram em peso na palestra que já é considerada uma das melhores palestras desse ano e veja que ainda nem começou!!!!






MINI ESTÚDIO


Tem dias que o tempo não está bom para tirar fotos….Mesmo durante a manhã ou à tarde , basta ter algumas nuvens a mais que a foto não sai como tínhamos planejado. É nessa hora que apelamos para o flash. O problema é que dependendo da intensidade e do tipo de material do objeto fotografado, a foto acaba “estourando”, tendo aquele brilho super artificial.
Para essas situações, o mini-studio é de grande utilidade. O segredo dele é criar um ambiente de luminosidade uniforme, eliminando o máximo possível de sombra e focos de luz indesejados. É bem fácil de fazer, basta uma caixa de papelão, cartolina branca, papel vegetal, cola e fita adesiva!

Segue as instruções do blog strobist, com algumas alterações: na parede da caixa, foi papel vegetal e, para a tampa, foi feita uma tela removível, que pode ser posicionada de acordo com o ângulo da foto.
O mais bacana é o fundo: com a cartolina é possível criar aquele efeito de “infinito”, porque ela esconde as emendas internas da caixa. Para fixar o pano de fundo, foram utilizados 12 imãs: 6 fixados fora da caixa com fita adesiva e 6 segurando a cartolina ou tecido do lado de dentro.

Depois é só reunir os abajures e luminárias da casa =)…e tirar a foto!
Se o flash da sua câmera ainda estiver “estourando” a foto, uma solução é colocar um papel sulfite na frente dele para espalhar mais a luminosidade.
O resultado:

Para dar o retoque final, utilizo o picnik, um site para edição de imagens com uma interface bem simples!

ELES ACHAM QUE EMBALAGEM É TUDO



Ninguém duvida que a embalagem ocupa um papel importante em nossas vidas, pois estamos o tempo todo em contato com ela. Quando abrimos o armário da despensa, elas estão lá, na geladeira, nos bares e restaurantes onde entramos, nas farmácias e no supermercado, então…
Os sociólogos e os artistas da pop-art olharam para ela com os outros olhos, uns viram na embalagem uma importante referência para avaliar o estágio de desenvolvimento da cultura material de uma determinada sociedade e os outros viram nela uma manifestação da própria cultura.
Os profissionais de marketing fizeram dela uma ferramenta fundamental para conduzir os produtos de consumo ao sucesso num cenário competitivo cada vez mais complexo e congestionado, como o que vemos hoje em tempos de globalização.
Os economistas encontram na produção e consumo de embalagens um importante termômetro para avaliar o nível da atividade econômica.
E o meio ambiente agradece toda vez que os índices de reciclagem, reutilização e degradabilidade das embalagens aumentam.
São muitas as implicações que ela tem em nossa sociedade, e essas utilizações vêm ganhando importância conforme a sociedade humana progride e as cidades urbanizadas crescem a tal ponto que a vida nas grandes metrópoles já não seria possível sem embalagens que conservam os produtos, pois o abastecimento diário de alimentos para populações acima de 5 milhões de habitantes numa mesma cidade é inviável tecnicamente.
Os estudos científicos e o desenvolvimento tecnológico fizeram com que novos materiais e processos permitissem que alimentos durassem anos, podendo ser estocados, transportados e utilizados muito longe da data e do lugar onde foram produzidos.
Os consumidores, que são a verdadeira razão de ser da embalagem, consideram-na algo muitíssimo importante em suas vidas, chegando a ponto de não distinguir ou separá-la do produto. Para eles, a embalagem e o produto são uma coisa só, constituem uma entidade indivisível. Um item que é, segundo eles, cada vez mais relevante no processo de escolha dos produtos.
Mas o título deste artigo não se refere exclusivamente ao que foi apresentado até aqui, e sim à principal conclusão obtida numa pesquisa realizada pelo Comitê de Estudos Estratégicos da Abre – Associação Brasileira de Embalagem, realizada em conjunto com a Apas – Associação Paulista de Supermercados, com supermercadistas, para conhecer a visão desses profissionais do varejo
sobre a embalagem e avaliar as relações desta com o desempenho de seus negócios.
A frase “embalagem é tudo” apareceu espontaneamente como principal definição dos supermercadistas para expressar a importância que eles atribuem a este componente de sua atividade.
Também, não é para menos, quando entramos num supermercado, o que é que nós vemos?
Os supermercadistas afirmam ainda que é a embalagem que faz o “show” no ponto-de-venda, e o design, a “atratividade”, o ponto fundamental de uma boa embalagem.
Quando profissionais e empresários que estão na ponta da cadeia em contato direto com os consumidores no momento de compra, andando pelos corredores o dia todo e vendo o que acontece, afirmam que ”embalagem é tudo”, nós temos de considerar seriamente a possibilidade de eles estarem certos.
Nossa recomendação, fruto preliminar das pesquisas que realizamos e das descobertas que fizemos, é a de que todos aqueles que estão envolvidos diretamente com o desenho, o planejamento, a produção e a utilização de embalagem em seus negócios e produtos, subam um grau na importância e na atenção que dedicam a este item, pois estão diante de um fator decisivo para o sucesso dos produtos de consumo e dos estabelecimentos onde esses produtos são expostos.
Nós precisamos fazer mais, ir mais fundo na utilização da embalagem, pois certamente a melhor coisa que pode acontecer a um
produto hoje em dia é ter uma boa embalagem.
Fonte: ifd

APOSTILA RHINOCEROS

Este é um tutorial básico para quem quer aprender a manusear o softer e explorar sua gama de recursos . Este tutorial encontra-se em Português no formato PDF. Para baixá-lo click no link:

http://www.personalrender.com/files/apostila%20rhinoceros%203_sr5%20-%2014fev2008.pdf

SAIBA ESCOLHER SEU COMPUTADOR

Está pensando em comprar um PC, ou Notebook e não sabe mais onde procurar informações para saber quais são realmente as suas necessidades, sem desperdiçar dinheiro? A Intel criou este site para que você: basta inserir as informações necessárias para que finalidade vai usar o computador e ele já te dará as especificações necessárias para que você utilize da melhor forma possível.


MÁQUINAS 3D






Impressora 3D cria e dá forma a objetos, este equipamento pode criar brinquedos e outros objetos a partir de modelo. Tecnologia deve estar mais acessível a usuários domésticos em quatro anos.


New York Times
Objetos feitos pela impressora têm grande variedade de modelos.

No futuro, um pedaço de plástico poderá de forma prática e rápida dar origem a um objeto desejado. Perdeu a tampa da bateria do celular, ou a filha quer a coroa de princesa que viu na TV? Em alguns anos, esses itens poderão ser criados em casa, com impressoras tridimensionais. Bastará fazer o download do modelo do objeto, ter a matéria-prima, e mandar imprimir. Parece ficção científica, mas essas impressoras já são utilizadas na indústria há uma década, para testar peças de carros, aviões e outros produtos antes de serem enviados para fabricação. Com a queda já ocorrida no preço e a expectativa de maiores diminuições em dois anos, espera-se que em breve essas impressoras possam estar nos escritórios e papelarias.

A próxima fronteira seriam as casas –- com a diminuição do preço, popularização do acesso e transição de tecnologias. A companhia Desktop Factory, da IdeaLab, quer ser a primeira a dar acesso a impressoras 3D aos consumidores. Seu primeiro modelo chegou ao mercado este ano, por US$ 4.995. Bill Gross, presidente da empresa, diz que a tecnologia desenvolvida, que utiliza um bulbo de luz de halogênio para derreter pó de náilon, irá permitir que o preço caia para US$ 1 mil em quatro anos. Outras pessoas também estão trabalhando na mesma idéia. “No futuro, todo mundo terá uma impressora como essa em casa”, disse Hod Lipson, professor da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, que liderou um projeto para a criação de uma impressora 3D. “Imagine poder imprimir uma escova de dentes, um garfo, um sapato.”
Faça você mesmo
As impressoras 3D montam um objeto a partir de uma disposição de partículas de um material, assim como impressoras tradicionais criam imagens a partir dos pontos. Elas constroem modelos em uma pilha de camadas muito finas, cada uma criada por um líquido ou um plástico em pó que pode ser solidificado em pequenos pontos por calor, luz ou elementos químicos precisamente aplicados. Mesmo com os preços atuais, o equipamento está se multiplicando. Universidades e colégios a utilizam para aulas de design, médicos imprimem modelos para ajudar em cirurgias complexas, arquitetos imprimem maquetes tridimensionais de seus designs. A tecnologia foi até utilizada para construir um mapa topográfico de Nova Orleans, ajudando na reconstrução da cidade.

New York Times
No futuro, tecnologia poderá criar brinquedos personalizados. A IdeaLab espera que empresas vendam os designs tridimensionais na internet. Isso permitiria às pessoas substituir uma prateleira da lava-louças em casa, por exemplo. E abriria novas oportunidades para a criação de brinquedos, com a criação de modelos extremamente personalizados -- uma Barbie com o rosto de uma pessoa. Kathy Lewis, chefe-executiva da Desktop Factory, disse que a empresa viu uma demanda inicial enorme em firmas de engenharia que simplesmente não podem bancar equipamentos maiores, assim como escolas e universidades com cursos de design. Para ter apelo com o mercado doméstico, a companhia está tentando desenvolver novos materiais –- um plástico mais macio e uma substância bastante suave, dobrável, para ser aplicada em brinquedos. O professor Lipson, da Universidade de Cornell, afirma que os pesquisadores estão desenvolvendo formas de utilizar o processo para construir partes com funções mais complexas. Eles têm designs preliminares para baterias, sensores e partes que podem ser entortadas quando eletricidade é aplicada. “O marco para nós seria criar um robô que levantaria e sairia andando da impressora –- com baterias incluídas”, disse.

http://tecnologia.terra.com.br/galerias/0,,OI106083-EI4795-FI1292348,00.html
http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL32809-6174,00.html



ESTÁGIO



Por Paulo Oliveira, especial para o Yahoo! Brasil

Você já tentou se projetar para o futuro e imaginar como estará sua carreira profissional daqui a dez ou vinte anos? Certamente, não passa pela sua cabeça chegar aos 40 anos sem saber o que quer da vida. Por mais rápida que seja, toda experiência pode servir como parâmetro para suas escolhas no campo profissional. Conhecimento teórico é bastante importante, mas sem a vivência cotidiana em uma organização, em que se colocam em prática tais conhecimentos, o tão esperado sucesso profissional pode demorar mais a chegar. "Esta experiência de estágio tem me permitido conviver com questões corporativas, pois estar numa grande empresa, participar de reuniões e trocar ideias com profissionais mais experientes faz toda a diferença", diz Maria Clara Picarelli, estagiária responsável pela parte de Benefícios da área de RH da indústria farmacêutica Eli Lilly do Brasil. Por recomendação de uma amiga, a estudante de Administração da USP disse ter buscado a empresa por saber de sua reputação com o desenvolvimento de pessoas, cujo setor de Recursos Humanos é muito forte e considerado um dos melhores lugares para se trabalhar. Realmente, identificar-se com os valores da empresa diminui bastante a chance de frustração. Foi apostando suas fichas nisso que o Administrador de Empresas, Maurício Tkatchuk iniciou sua carreira de trainee na Mercedes-Benz, há um ano e meio. Efetivado ao final do processo, hoje, aos 22 anos de idade, atua como Planejador de Logística e coordena uma equipe de cinco pessoas, incluindo um estagiário. "Poder circular em diferentes áreas da empresa me ajudou no processo de amadurecimento e a fazer escolhas que determinaram meu futuro na companhia", afirma o profissional. Já o Engenheiro Mecânico de 24 anos, Jason Barros, com sete meses de casa, reconhece também que como trainee seu papel ali não se restringe a trocar experiência com as pessoas, mas deve também oxigenar a capacidade produtiva da empresa. "Com uma carga de responsabilidade maior que a de um estagiário, acredito que o trainee deve contribuir mais para os resultados da empresa", diz ele. Nesse aspecto, o compromisso com os resultados ganha força e vida no ambiente corporativo. À semelhança do que ocorre na Mercedes-Benz, a analista de Recursos Humanos da indústria farmacêutica Eli Lilly, Juliana Tomassini, observa ser crucial haver entre todos, dos estagiários aos funcionários efetivos da empresa, a responsabilidade pela maximização produtiva, em conformidade com os objetivos da companhia. Para isso, performance e um plano de metas são relacionados e anualmente analisados. Juliana Tomassini acredita que uma prova de que estão no caminho certo aparece na taxa de efetivação de 40% de seu pessoal, demonstrando baixo turnover. "Aqui, o profissional pode evoluir em alguma expertise que sinta necessidade com foco na performance ótima. O estagiário, em especial, deve ter um acompanhamento mais próximo para que amadureça com a troca de conhecimentos e chegue onde queira de forma a ser eficiente no que faz, aplicando toda a sua competência a sua área de atuação". Porém, nem só de empresas sérias vive o mundo corporativo, por isso, muitos universitários acabam concluindo os estudos sem estar inseridos na área de formação. Em fóruns de discussão sobre o tema na Internet o que mais se lê são frases do tipo: "Não quero ser mão-de-obra barata!", "Não vou estudar tanto para ser um estagiário que só tapa-buraco." Para se evitar problemas assim, devem ser preservados interesses comuns a serem compartilhados entre Universidade, Estagiário e Empresa. Para o Coordenador do GCET (Grupo de Coordenadores de Estagiários e Trainees), Abraão Dantas dos Santos Jr., cada parte leva o seu quinhão já que o jovem entra com gás e quer mostrar serviço para a empresa. "Esta, por sua vez, pode se beneficiar não só pela isenção fiscal, mas pelo fato de poder lapidar o estagiário como quiser, pois ele ainda não apresenta vícios. Para a Universidade é ótimo também, afinal o que ela quer é ver seu aluno no mercado de trabalho. "A preocupação de inserir jovens na ativa inclui-se no aspecto da questão social, já que o maior índice de desemprego no Brasil chega a quase 9% nessa população. Os que estão entre 17 e 20 anos de idade correspondem a 20% desse total, ou seja, dobra o percentual, porque é mesmo difícil ter a primeira oportunidade". Em junho deste ano, o GCET apresentou uma pesquisa realizada com 61 grandes empresas e 1639 estagiários, cujo principal objetivo foi levantar quais são as melhores práticas de estágio. Alguns números surpreendem: em 34% das empresas pesquisadas, a taxa de efetivação de estagiários é de 50% a 80% e a bolsa-auxílio varia de R$ 800,00 a R$1.300,00, em 64% das empresas ouvidas na pesquisa. Entre os cursos que possuem as melhores oportunidades estão Administração de Empresas, Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Comunicação Social, Direito, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Engenharia Química, Psicologia e Sistemas de Informação.



Estagiário e Trainee: você sabe a diferença?



Tais Amaral, consultora da Cia. de Talentos, explica as características de cada um Estagiário. O candidato ainda não é formado. Sua bolsa-auxílio fica em torno de R$ 800,00 a R$ 1000,00 por seis horas de trabalho. O contrato não pode passar de dois anos, mas, durante a sua vigência, tem direito a 30 dias de férias. Após um ano de estágio pode receber vale-transporte, vale-refeição e convênio médico.
Trainee É o profissional recém-formado. Tem contrato conforme a CLT e passa por um treinamento específico para assumir cargos de nível executivo num curto espaço de tempo - em até três anos.Para Tais Amaral, a empresa deve reter o jovem talento. Um bom programa numa companhia é aquele em que o estagiário tenha possibilidade de contato com variadas áreas de atuação, favorecendo o crescimento profissional e a construção de um plano de carreira.


Mas para dar o pontapé inicial na carreira, não basta receber a informação de que determinada empresa está recrutando estagiários ou trainees, é preciso ter seu currículo avaliado em seleção prévia, fazer testes específicos e participar de dinâmicas de grupo. Nessa etapa, os principais comportamentos avaliados são o trabalho em equipe, a capacidade de comunicação e iniciativa. E por que não iniciar a carreira agora mesmo buscando uma vaga de estágio? Fique atento aos cartazes fixados na sua faculdade e vá à luta. Chat do estagiário Vale a pena estagiar? Qual é a melhor forma de começar a vida profissional? Karin Alves - graduanda em Psicologia pela PUC/SP diz: "Vale muito a pena estagiar, pois é uma chance de se aprender mais o que se estuda. Quem não faz estágio acaba encontrando maior dificuldade para se encontrar profissionalmente e apresenta grande dificuldade de inserção no mercado de trabalho ao se formar. O ideal é começar a vida profissional já estagiando na área onde você quer atuar futuramente." A colega de faculdade, Jacqueline Esposito, também comenta: "O erro é mais aceitável para o estagiário. Pôr a mão na massa indo para o estágio proporciona conhecimento e experiências diferentes ao que temos no ambiente da faculdade. Mas algumas delas não permitem fazer estágio no 1º semestre. Daí podemos fazer algum curso técnico, livre, de idiomas e até mesmo a realizar projetos dentro da faculdade. Isso conta muito no currículo."

COMERCIAIS IKEA

CARALHO


s.m.(o) . Cesta fixada no topo das antigas naus para vista dos marinheiros.

CARALHO: Segundo a Academia Portuguesa de Letras, CARALHO é a palavra com que se denominava a pequena cesta que se encontrava no alto dos mastros das caravelas, de onde os vigias perscrutavam o horizonte em busca de sinais de terra.O caralho, dada a sua situação numa área de muita instabilidade (no alto do mastro) era onde se manifestava com maior intensidade o rolamento ou movimento lateral de um barco.Também era considerado um lugar de castigo para aqueles marinheiros que cometiam alguma infração a bordo.O castigado era enviado para cumprir horas e até dias inteiros no CARALHO e quando descia ficava tão enjoado que se mantinha tranquilo por um bom par de dias. Daí surgiu a expressão:-Vai prô caralho!

ALICATES DE BICO E CORTE

sses alicates são utilizados para serviços simples como dobrar, torcer, puxar,cortar, e uma infinidade de aplicações a coisas minusculas. Existem vários tipos de a alicates de bico para a mesma finalidade:

Alicate de bico meia-cana

Alicate de bico de pato
Alicate bico meia de cana reto
Alicate de bico redondo e longo





Alicate de bico chato e curvo alongado





Alicate de corte diagonal


Alicate de corte zero


Alicate corte de precisão

DECAPADOR COAXIAL


Decapador coxial nada mais é que um " descascador de fios". Muito util e simples de utilizar.


ALICATE DE CRIPAGEM


Alicate utilizado em cabeamento de rede estruturada LAN com conectores RJ45. Para saber mais como utiliza-lo assista o vídeo abaixo em:

SIMBOLO DO CURSO

Nós como futuros designers temos que criar a nossa própria identidade, a nossa marca como identidade visual, será ela que nos tornará reconhecidos como profissionais.Por isso lanço a proposta de criar um símbolo que identifique o curso de Desenho Indústrial da PUC-PR.Assím como a balança representa o símbolo do curso de direito, a serpente e o soro da medicina, deveriamos criar um símbolo que identificase o nosso curso. Porque não? E quem sabe um mascote? Afinal um bom designer é reconhecido através do seu talento! Envie sua proposta ou sugestão para que seja discutido.




email: galhardia@hotmail.com




Como iniciativa lanço a minha idéia de colocar o Calderari como símbolo do Curso de Desenho Industrial - Projeto do Produto. Gerem também vocês as suas alternativas.



MARTELO DE BOLA


Este martelo é utilizado para se trabalhar com metais, pois na sua outra extremidade encontra-se uma bola onde auxilia para fazer moldar peças curvas em metal.

GROSA


Serve para debastar madeira, assim como o ferro, e a ferrugem, sua caracteristica que ele é mais grosso que a lima

CHAVE COMBINADA


A chave combinda possui duas variações, um lado vem com a chave de boca e do outro com a chave estrela. Geralmente é vendida em conjunto com vários tamanhos, para auxiliar o trabalho.

MARTELO UNHA OU DE CARPINTEIRO


O martelo unha é o que usamos usualmente em madeira. Pois ele tem suas hastes curvada para que auxilie a retirada de pregos.

ALICATE UNIVERSAL


Certamente todo mundo tem um em casa.O nome universal é derivado de suas utilizações, pois ele pode prender, cortar, apertar e até bater.

ARCO DE SERRA


Esta serra que corta chapas e canos de metal. Também utilizada para cortar madeira, e canos de P.V.C.Esse serrotinho é o sonho de todo presidiário.Corta metal como se fosse manteiga.

SERRA-COPO






A Serra-copo server para realizar furos, com diâmetros superiores à brocas Convencionais. Ou detalhes de cincunferências na peça como no exemplo abaixo.


GRAMPO SARGENTO


Modelo tipo sargento é uma ferramenta de utilização em carpintaria e marcenaria. Tem vantagem de abraçar peças grandes e bancadas, útil para colagem e união em geral.Regulável, de aperto rápido, nome popular "sargento", corpo em ferro fundido, haste e fuso aço especial com sistema antideslizamento, não havendo possibilidade de afrouxar-se por acidente.

MACETE


Esta aí é a verdadeira ferramenta chamada macete.
No caso, trata-se de macete de madeira, com um cabo de jatobá, fixado com cunhas . O cabo e a cabeça são envernizados. Aplicações atuais do macete: é utilizado por escultores e carpinteiros para golpear o formão. É recomendado também para golpear peças de madeira ou metal; permite golpeá-las sem deixar marcas.

VOCABULÁRIO DESIGNER

ALINHAMENTO - GRÁFICOÉ a forma de organização de colunas de texto, cujas linhas podem ser alinhadas à esquerda, à direita, centralizadas ou blocadas.
 APURAÇÃO DE MATÉRIA - GRÁFICORealizada pelo repórter, a apuração é a fase de levantamento de informações que irão compôr a reportagem.

BACKGROUND - GRÁFICO
O background nada mais é que um fundo. Ele pode ser utilizado em representações gráficas para evidênciar um objeto ou destacar uma parte específica.

BISEL - PRODUTO
Nada mais é que chanfrar as bordas de uma peça em toda sua extensão.

BONECO - GRÁFICOÉ o projeto gráfico de um produto, que apresenta os elementos (gramatura do papel, tipologia, imagens etc) da forma como se deseja utilizar em sua versão final. A elaboração de um boneco é fase fundamental para o lançamento de publicações periódicas


CHANFRO - PRODUTO
É a extremidade de uma peça com aresta curvada de forma reta, sendo cortada geralmente formando angulos de 45º

CORES ESPECIAIS ou PANTONE - GRÁFICOSão também conhecidas como cores "sólidas". O nome Pantone, na realidade, refere-se a uma marca de tinta, cuja variedade de cores institucionalizou em todo o mundo, e pode ser identificada por códigos.É devido ao Pantone que uma multinacional consegue, por exemplo, manter, em qualquer gráfica do mundo, a fidelidade da impressão das cores de seu logotipo.CORPO - GRÁFICOCorpo é a medida de tamanho das fontes. Quanto maior o corpo, maior o tamanho da letra.
DIAGRAMAÇÃO - GRÁFICODiagramar consiste em determinar a disposição dos elementos em uma página – legendas, ilustrações, textos, títulos etc. Essa tarefa é executada pelo diagramador.

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA - GRÁFICOÉ a preparação técnica de originais para publicação, que envolve forma e conteúdo. Atualmente, esse serviço é realizado totalmente por computador, desenvolvido pelo diagramador em programas paginadores como Page Maker e Quark XPress.
ENTRELINHAMENTO - GRÁFICOÉ a distância, no sentido vertical, entre duas linhas de texto.

ÉPURA - GRÁFICO
É uma técnica de representação geométrica bidimencional para formas tridimensionais. As linhas representadas dentro da épura são classificadas quanto ao seu posicionamento como: reta vertical, reta horizontal, reta fronto-horizontal, reta qualquer, reta de topo, reta de perfil.


ESCANEAR - GRÁFICOEscaneamento é a forma "abrasileirada" de designar o processo de digitalização da imagem. Vem da palavra inglesa scanner, nome do equipamento em que se realiza a digitalização.FACA - GRÁFICO
É uma lâmina cortante que permite ao artista gráfico desenvolver uma grande diversidade de formatos para os produtos impressos.

FORMATO A4 - GRÁFICOÉ um formato-padrão internacional de papel, com medida de 21 cm de largura por 29,7 cm de altura.
CAIXA-ALTA ou CAIXA-BAIXA - GRÁFICOÉ a forma de designar a tipologia utilizada em letras minúsculas
(caixa-baixa) ou letras maiúsculas (caixa-alta).
FORMATO A3 - GRÁFICO
É um formato-padrão internacional de papel com medida de 42 cm de largura por 29,7 cm de altura. Dobrado ao meio, obtém-se o formato A4.

FORMATO CARTA - GRÁFICOÉ um formato-padrão internacional de papel, com medida de 21 cm de largura por 28 cm de altura.
FOTOLITO - GRÁFICOÉ uma película transparente na qual se registra a imagem por meio de registro fotográfico. É o processo intermediário entre a finalização do arquivo em computador e a impressão.


HACHURA (lê-se como esté escrito) - GRÁFICO
É um elemento gráfico fechado que representa uma área. Utilizado em Desenho Técnico para representar superfícies, como metais ou cortes na peça, a hachura também é utilizada em desenhos para dar volumetria, isto é dar a forma e volume aos objetos. 
GRAMATURA - GRÁFICO
Gramatura é uma das características do papel, que designa a sua espessura. Essa medida é registrada em gramas por metro quadrado da folha de papel.

HIGH-LITGTH (lê-se rai lite) - GRÁFICO
O este processo é utilizado geralmente em sketchs para determinar pontos de luz de um objeto, estorando a luz e criando superfícies tridimensionais simplesmente com o jogo de luzes ou sombras.
IMAGEM EM ALTA ou BAIXA DEFINIÇÃO - GRÁFICOSão os termos utilizados para a medida de pontos por polegada de uma imagem. Quanto maior o número de pontos por polegada (dpi), maior a definição da imagem.

LAYOUT (lê-se "leiaut") - GRÁFICOÉ a materialização da proposta visual dos elementos – tipologia, cores, estilo de ilustração etc – que compõe o produto.
MÍDIA - GRÁFICOÉ o "veículo" de disseminação da informação, como a mídia impressa (papel), mídia eletrônica (cd rom ou web) etc.

PAGINAÇÃO - GRÁFICOPaginar significa ordenar as páginas de um produto impresso, designando o conteúdo de cada uma delas.
PAUTA - GRÁFICOEm veículos de comunicação, a pauta é o roteiro dos fatos que devem compôr as matérias e que determina também a forma como cada tema deverá ser tratado.

PROJETO EDITORIAL - GRÁFICOÉ o estudo que definirá a forma e o conteúdo de publicações. Compôr as matérias e que determina também a forma como cada tema deverá ser tratado.
PROJETO GRÁFICO - GRÁFICOÉ o estudo que definirá as características visuais de um produto periódico, que se repetirão a cada edição.

PROVA DE COR - GRÁFICO
Há quatro processos de produção de provas de cor: cromalin, pressmatch, prelo ou digital. A prova de cor é utilizada para a checagem da qualidade das fotos, das cores e do texto, e é produzida a partir dos fotolitos – com exceção da prova digital, gerada a partir do arquivo de computador.

PROVA HELIOGRÁFICA - GRÁFICOProva em papel heliográfico (de cor azul), normalmente utilizada para checar a correta ordem das páginas antes do processo de impressão.

REPRINT - GRÁFICOÉ o termo emprestado do inglês que significa reimpressão de um material.
ROUGH (lê-se "raf") - GRÁFICOÉ o traçado inicial de um layout.

SKETCH- (lê-se esquete) - GRÁFICO
É um rascunho utilizado na fase inicial de trabalho, por arquitetos e designers, ele pode utilizar alguns elementos cõmicos, estilo HQs ou não, mas sempre mantendo a forma desejada, com traços rápidos e detalhes superfíciais.

STRIP - GRÁFICOÉ o termo para a operação de recorte de fotolitos, realizado nos
casos em que há pequenas alterações ou modificações a serem feita
sem a necessidade de impressão de novos filmes.

TIPOLOGIA - GRÁFICOTipologia (que significa "estudo dos tipos") é o conjunto de caracteres tipográficos, que também são conhecidos como fontes. Elas admitem algumas variações de estilos, tais como itálico, negrito, sublinhado etc. Alguns exemplos de tipologia são a Times New Roman, Arial, Garamond e Helvética.

TIRAGEM - GRÁFICOTiragem é o número de exemplares que serão impressos de um determinado produto.
TRATAMENTO DE IMAGENS - GRÁFICOO tratamento de imagens é um processo realizado por meio de softwares gráficos (como o Photoshop) que visa a melhoria da qualidade da imagem para impressão. Nesse processo, podem ser corrigidas imperfeições da imagem.


MÁQUINA RUBE GOLDBERG

A máquina de Rube Goldberg é deliberadamente um aparelho que realiza uma tarefa muito simples de uma forma muito complexa, geralmente usando uma reação em cadeia. Essa esta expressão foi datada como sendo originada nos Estados Unidos por volta de 1930, para descrever as ilustrações e as máquinas absurdas de Rube Goldberg. Os desenhos de Goldberg's por exemplo, quase sempre incluíam um animal vivo que era esperado para realizar parte da seqüência de tarefas.O termo apareceu pela primeira vez em Webster's Third New International Dictionary com a definição de "realizar por meio extremamente complexo rotulando que realmente ou aparentemente poderia ser um feito simplesmente".
Desde então, expandiu-se a expressão para designar qualquer tipo de engenhoca ou excessivamente complicado sistema.

A frase a máquina de Heath Robinson, nomeado após a fantástica máquina em quadrinhos ilustrados pelo cartunista britânico W. Heath Robinson, compartilha um significado semelhante, mas antecede a máquina de Rube Goldberg, originária no Reino Unido em 1912.
Na França, a mesma máquina é chamada de Usine à Gaz, ou fábrica de gás, o que sugere uma fábrica de tubos muito complicado correr por todo o lado. Agora, é utilizado principalmente entre programadores para indicar um programa complexo ou em jornalismo para se referir a uma confusa lei ou regulamento.Na Dinamarca, eles são chamados de Storm P maskiner após o cartunista dinamarquês Robert Storm Petersen. Já em Bengala, o humorista e autor de livros infantis Sukumar Ra, em seu poema disparate "suprimir tabol", tinha um personagem (tio), com uma máquina tipo de Rube Goldberg, chamada de "Máquina do Tio".
Esta palavra é usada coloquialmente em bengali para significar um objeto complexo e inútil.Na Espanha, os dispositivos semelhantes às máquinas da Goldberg são conhecidos como INVENTOS del TBO (tebeo) comico, nomeado após ao caricaturista Ramón Sabatés que o chamou de comico para uma seção da revista TBO, alegando ser concebido pelo Professor Franz de Copenhaga.
O caricaturista norueguês e suas histórias de Kjell Aukrust criou um personagem animado chamado Reodor Felgen, que constantemente inventava máquinas complexas. Ainda que muitas vezes construídas fora da realidade, elas sempre eram muito bem planejadas. Felgen se tornou uma estrela como o inventor extremamente poderoso, com seu complexo e demasiado carro, Tempo Gigante II, no Ivo Caprino e no animado de Flåklypa Grand Prix (1975).O cartunista australiano Bruce Petty retrata temas tais como a economia, relações internacionais ou de outras questões sociais tão complexo interbloqueando manipular máquinas, ou pessoas sendo manipuladas por ela.Na Turquia, esses dispositivos são conhecidos como Zihni Sinir Proceleri, supostamente inventada por um certo Prof Zihni Sinir ("Mente Ranzinza"),uma curiosa personagem criada pelo cientista Irfan Sayar em 1977 para a os quadrinhos de Gırgır. O caricaturista mais tarde passou a abrir um estúdio de venda e de trabalho, efetivando a implementações de seus projetos.No Japão, eles são chamados de "dispositivos Pitagóricos".O Dispositivo Pitagório ou "Pitagora Suicchi" é o nome de um programa de TV que mostras essa série de dispositivos. Na Áustria, Franz Gsellmann trabalhou durante décadas em uma máquina que ele nomeou o Weltmaschine "máquina do mundo ", tendo muitas semelhanças com a máquina Goldberg .Várias obras de Tim Hawkinson contem aparelhos complexos que são geralmente utilizados para fazer arte abstrata ou dispositivos musicais. Muitas delas estão centradas em torno da aleatoriedade de outros dispositivos (tais como um caça-níquel) que são dependentes deles para criar algum efeito capacho.Na Suíça esse tipo de máquinas estão intimamente relacionados com o artista duo Peter Fischli & David Weiss através do seu trabalho, especialmente no filme "Der Lauf der Dinge" (The Way Things Go).

Muitos criadores de máquinas Rube Goldberg participam de competições, como as tradicionais competições no Novo México, nos Estados Unidos. No início de 1987, a Universidade de Purdue, no estado da Indiana começou a com concursos Nacionais anuais de Máquinas Goldger ou a Rube Goldberg Machine Contest, organizado pelo Capítulo de Phi Theta Tau, uma fraternidade nacional de engenharia nos Estados Unidos.O concurso é patrocinado pela Fundação Educacional Theta Tau. Caracteriza E.U.A. os colégios e universidades criam máquinas inspiradas pelo cartunista Rube Goldberg. Os jurados julgam as invenções é baseadas na capacidade da máquina para realizar as tarefas especificadas pelo desafio utilizando como muitos passos, quanto maior possível, sem uma única falha, ao mesmo tempo que as máquinas próprias devem ser montagem em determinados temas.
A Honda produziu um comercial, intitulado "Cog", para o seu carro Accord utilizando apenas peças para veículos automotivos. Nos desenhos de séries animadas telivisivas como , Tom e Jerry, Tom frequentemente utiliza aparelhos complicados como máquinas Goldberg para tentar capturar, o ratinho Jerry. Em The File-X " Arquivo-X" um episódio "The Goldberg Variation", um homem a ser caçado pela máfia é guardado por estranhas seqüências de reações, semelhantes às de uma Máquina Goldberg. No filme Pee-wee's Big Adventure - "A grande aventura de Pee Wee" (1985) produzido por Tim Burton, Pee-Wee Herman tinham dispositivos de Goldberg que fazia café da manhã.As máquinas de Rube Goldberg são muito populares em desenhos animados, como a série de Looney Tunes, e outras produções como Warner, Fox e Discovery Channel.

POLIESTIRENO VULGO ISOPOR


O isopor é uma espuma formada a partir de derivados de petróleo, é o poliestireno expandido. A marca Isopor tornou-se sinônimo genérico de poliestireno expandido.
O poliestireno expandido tem um baixo peso específico. Mais de 97 % de seu volume e constituído de ar, na cor branca, inodoro, reciclável, não poluente, fisicamente estável, é sem dúvida um material isolante da melhor qualidade nas temperaturas de - 70° a 80° Centígrados.
Normalmente, os corpos são moldados com densidades variando entre 20 a 25 Kg/m³ , onde densidades maiores ou menores podem ser utilizadas para casos específicos.
O poliestireno expandido é um elemento com características especiais:alta resistência à compressão, à vibração mecânica, baixa condutibilidade térmica e baixa absorção de água e umidade, além de resistência à difusão do vapor e excelente elasticidade.
É 100% reciclável, totalmente neutro, não liberando resíduos ou efluentes tóxicos, não produz nem libera CFC e tem excelente equilíbrio energético. Porém não é biodegradavel !

http://www.fazfacil.com.br/materiais/isopor.html



linkwithin_text='Você pode gostar também:' Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...