COMO ABRIR UM NEGÓCIO EM DESIGN DE PRODUTO - FUNDAMENTOS I

Muitos designers são preparados para atender as necessidades de mercado, mas e você foi preparado para abrir o seu negócio?





Muitos designers já pensaram em algum momento da vida em partir para novas conquistas e se tornar independentes, mas por medo, inexperiência, e falta de habilidades sempre acabam boicotando os sonhos porque não conseguem colocar em prática algumas ações, que independente de você estar empregado ou investir em um negócio ambos são negócios de risco. Afinal, amanhã você pode não estar mais no seu emprego ou seu negócio pode não ter sido uma tão boa ideia assim.  O importante é aprender que o fracasso faz parte do sucesso. Ninguém acerta de cara. Você nunca vai aprender se não insistir para conseguir aprender. Quanto mais rápido melhor, porém sabemos que as coisas não funcionam assim.

Primeiro temos que desmistificar negócios. Muitos vislumbram como o lugar dos sonhos onde você vai trabalhar com coisas que gosta e tem afinidade, e pretende que ele seja mais duradouro possível, ou seja, que enquanto você estiver vivo este negócio permanecerá. Mas o que a universidade não ensina sobre empreendedorismo para os designers é que o negócio também é um investimento. Você cria, cresce e vende logo para uma grande empresa, assim você tem os lucros ou dividendos.  É assim que se ganha dinheiro. Não fique apegado com a ideia de negócio. Também muitos acham que não tem o perfil para empreender porque não conhecem as práticas administrativas ou habilidades com vendas. Lembra que eu falei que o importante é aprender! Tudo isso você aprende com o tempo, ou quebrando a cara, ou então procurando um mentor para auxiliar nestes detalhes que tem menos habilidade.

Um mentor, é alguém que tenha alguma experiência no ramo que você quer atuar e que vai lhe ensinar a andar no "caminho das pedras" com menos sofrimento e dor. Sim. Assim como você acredita que sofre injustiçadamente em seu trabalho, o empreendedor também vai trabalhar sobre as pedras no caminho, só que a única diferença que ele vai trabalhar para  gerar dinheiro para si mesmo, enquanto você como trabalhador, trabalha para gerar riqueza para os outros. Ei! Não se sinta infeliz, afinal você não se libertou do medo, da incerteza e por isso prefere achar que está correndo menos risco com uma carteira de trabalho vivendo como assalariado.

E para aqueles que se libertaram dessa mentalidade e pretendem se aventurar no mundo dos negócios. Nós perguntamos: "Qual o valor do amanhã?"

Quem de vocês já fez a conta de quanto custa seu amanhã? Sim, a primeira coisa é saber quanto custa seu amanhã. Saber planejar o seu amanhã é saber que precisa de reservas para emergências, afinal um imprevisto, um problema familiar sempre acontece em hora não planejadas. E o quanto você quer ganhar quando se aposentar?

O valor do seu amanhã é o seu próprio negócio, o governo é uma instituição falida e você vai esperar uma esmola do governo em idade avançada para receber como 80% dos aposentados um salário mínimo  que não cobre nem as despesas básicas?


"Foco é saber dizer NÃO" - Steve Jobs

APRENDA A DIZER NÃO!

Parece absurdo mais muitos ainda não aprenderam a dizer NÃO! Não quero viver uma vida medíocre, não quero depender do governo, não quero ser trabalhador para sempre. Essa é uma tarefa difícil saber dizer não para as situações que merecem  dizer um não. Outro problema do empreendedor inexperiente é que ele acha que ele é a empresa. É o Deus. O onisciente,  onipresente e onipotente. Ele é o faz tudo da empresa. NÃO, não funciona assim. Na hora que você ficar doente seu negócio morreu! Porque? Porque não tem ninguém trabalhando por você. Então, ter um negócio é botar alguém para trabalhar para você e você continua ganhando. Você nem precisa cuidar do negócio, pode fazer com que os outros gerenciem para você, mas o cara que ganha dinheiro é aquele que foi atrás de conhecimento (know-how) e sabe como tudo funciona.

"Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende." 

- William Edwards Deming






TENHA OBJETIVOS FINANCEIROS

O planejamento deve começar pelo financeiro. Seja com seu parceiro, com sócio, a responsabilidade do planejamento envolve o planejamento pessoal ou familiar. Tem que saber os gastos pessoais ou familiar e saber que não pode comprometer a mais de sua renda e sempre que possível reduzir custos.

Isso também se aplica ao negócio. Temos que considerar financeiramente tanto ao nível pessoal como do negócio. A Despesa BoaDespesa Ruim e a Despesa Oculta. Os objetivos de saber administrar é investir:

· DESPESA BOA: Trás algum benefício direto ao negócio. (água, luz, internet, aluguel...)
  OBJETIVO: Reduzir para ter maior lucro e reinvestir em outras coisas.

· DESPESA RUIM: São os encargos embutidos nos serviços. (juros, cartão de crédito...)
   OBJETIVO: NÃO quer fazer para não ter que pagar mais. Dinheiro jogado fora.

· DESPESA OCULTA: São situações inconvenientes do cotidiano.(multa, médico...)
   OBJETIVO: Prever imprevistos e deixar de reserva.

· INVESTIR: Segurança: Tem a certeza do que está lá vai estar. 
                 Liquidez: Ou seja, disponibilidade a qualquer momento para resgatar a quantia                  que desejar.
                 Rentabilidade: Fazer crescer o montante.

A regra básica é GANHAR, ADMINISTRAR E INVESTIR. O planejamento financeiro é isso, demora a acontecer, mas não pode ser drástico senão vira gente mesquinha. Quanto mais se administra, mais se investe e mais se ganha.

Faça com que o dinheiro trabalhe para você e não você trabalhe por dinheiro. Essa é uma regra básica no mundo dos negócios, mas você com certeza nunca ouviu falar na universidade por algum de seus mestres não é designer? 



NÃO CAIA NAS ARMADILHAS

O investimento é a primeira coisa que deve ser feita no planejamento financeiro. Muitas pessoas  primeiro pagam as contas e depois vão ver o que sobra para investir. Saiba antes quanto vai lhe render para depois fazer o investimento em qualquer coisa. Todo investimento deve ser maior que os juros da poupança, ou então você está trabalhando para nada. Sua taxa média de atratividade tem que pagar por si própria.  Ou você domina logo o planejamento financeiro ou então será tragado por ele. (contas, dívidas,processos)

Outra coisa comum é que muitos fazem planejamento de longo prazo para situações a curto prazo. Exemplo: "Já estou planejando comprar um escritório que tenha lugar para dez pessoas." Como você quer ir para um lugar maior se você não tem estrutura nem para manter ele no curto prazo?

Além disso, temos que ter um mapa financeiro para sempre saber onde está o dinheiro e estar monitorando as receitas e despesas não contabilizadas, pois são elas que provocam maior rombo nas suas contas. Isso mesmo, aquele lanchinho fora de hora, aquele happy hour que você fez para comemorar 2 anos da sua empresa, aquela impressão na esquina que você tirou do seu documento porque esqueceu de fazer isso em escritório para mandar aos órgãos competentes, tudo isso vira um montante ao longo do mês ou do ano podem virar uma quantia enorme.

Outro fator é o chamado Animal Spirit. Também conhecido como Efeito Manada. São empresas de especulação, mídias em geral, notícias falsas, que começam a gerar conflitos e noticiar ideias e acontecimentos que mudam o comportamento das pessoas, pois elas acreditam que realmente vai acontecer e acaba acontecendo fazendo com que investidores deixem de investir no país, e isso é ruim não só para os investimentos, mas também para os negócios, pois pode influenciar como as pessoas compram produtos e serviços, inclusive o seu.

Lembre-se que a frustração de perder dinheiro é processado na nossa mente da mesma forma que a dor. Em estado de dor você vai agir sem pensar, porque quando perdemos dinheiro nossa mente não trabalha. Portanto, lembre-se que dinheiro é saúde, porque trás consequências que afetam nosso corpo, e corpo doente não trabalha e não prospera. 



Roger Mafra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

linkwithin_text='Você pode gostar também:' Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...