ARQUITETURA DE EXPERIÊNCIAS COM EDSON MATSUO - GRENDENE - CHARNEIRA PERCEPÇÃO 2015



Um dos principais designers da Grendene Edson Matsuo, muito irreverente veio dividir um pouco da sua visão sobre a profissão do designer, contando uma lição de vida, de como se tornar bons profissionais. "Duvidem de tudo o que eu falar. Hoje se vocês não duvidarem vocês não serão bons profissionais, as vezes até eu duvido do que eu falo." 

1. Não desista nunca! Quais os são os seus projetos, seus sonhos, as dificuldades vocês que enfrentarão para chegar aos seus objetivos? Qual é a expectativa de vocês aqui. Vou colocar meu chapéu se não eu não penso direito. A gente precisa de mais experiências para dividir e difundir conhecimento, vou fazer mais desse bate-papo uma provocação.

Nós (Edson Matsuo) vivemos em uma época muito difícil, as mudanças acontecem rapidamente e qual a nossa capacidade de sentir; o que está acontecendo e do que eu preciso para defender um propósito, e o porquê?




Vamos primeiro começar com o porquê? Como? E o quê? Lembram de Simon Sinek e o seu famoso "Golden Circle"? Muita gente começa ao contrário e depois se pergunta da merda que fez! É preciso definir uma ação. Uma ideia boa não é nada! Sua ideia já foi parar no jornal, numa revista, num concurso isso não quer dizer absolutamente nada! O mais importante para um produto é sua execução. É o processo que leva a algo não a publicidade de sua ideia. Se você não executar é apenas uma ideia e ponto! Vai tomar banho se você tem bastantes ideias, mas para elas se concretizarem é preciso agir e ter um novo olhar assim como o escritor francês Marcel Proust disse:' A verdadeira viagem do descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos.'

É isso que o designer as vezes é engraçado! O designer vê uma coisa interessante que as pessoas passam a enxergar diferente, além do óbvio. É algo muito diferente que nos define (os designers) nossos propósitos (projetos/produtos) diz Matsuo.


O PROPÓSITO

Outro propósito que nos define é colocar as pessoas sempre em primeiro. Senão  perde-se a essência do que se faz. É preciso centrar o foco fechando a "eunovação" a self innovation que começa pelo pelo designer, por vocês, não é só agora, ou na crise, é o tempo todo...O que eu aprendi recentemente que se quiser ser criativo reduza tudo: seus recursos, tire o PC, as ferramentas, e as inovações surgem; elas surgem das limitações. A inovação está nas pessoas e como elas olham uma nova abordagem para um problema não são as tecnologias que resolvem problemas, ou materiais, ou 3D. É preciso envolver inspiração, curiosidade, felicidade, surpreender! Ter orgulho da origem, da nossa trajetória (de vida e profissional). O que você fez antes não importa, quem é você, o que você gosta, ou o que você faz; qual a sua origem? No que eu sou bom? Eu não sei!!! Mas, eu posso aprender rápido. O nosso pior concorrente é nós mesmos:Egoísmo, arrogância, medo demais paralisa e tudo para depois e vai deixando para lá.

"EUNOVAÇÃO" é sair da superfície dos outros e aprofundar em nós mesmos. Isso é sabedoria! Sabedoria não é idade. Não pare! Nos guiem! - Acorde cedo e corra atrás das coisas, a vida é muito generosa...mas tem que correr atrás e colher. Agora, plantar vai depender da planta, estamos falando de pessoas; 'eunovar' é humanizar nossas relações para colher aquilo que desejamos. Não se leve a sério sempre, dá um desconto! Se vocês são pessoas e não máquinas, permita-se errar! Afinal até elas uma hora dão problemas.
Respeite o que você conseguiu conquistar e chegou até hoje, é o que você quer no futuro que faz recriar novos significados. "Meus erros e Eu, seja um designer, arquiteto..." - Disse que a ordem vem o progresso e as oportunidades vem dos erros.

Por exemplo, o primeiro sapato que eu fiz foi de palha de garrafões!

Não desisti, senão eu tinha perdido meu emprego. Faça sua parte para os produtos melhorarem. Os erros são fatores para melhorar, nossas transformações acontecem com os erros. Quem faz produto inovador tem que arriscar, pois a inovação é o mercado que absorve, os erros especialmente os próprios consumidores criam os "erros" que estão nos produtos, isso se faz com que você entenda pessoas. Se você não gosta de pessoas não entendem de negócios e o que elas desejam.




A ALMA DA CASA

Na Grendene, o design é para servir. O mais importante é colaborar e sorrir tendo a menor distância entre as pessoas. Nosso propósito é o que dá sentido a vida. "O meu é ser otimista."  É uma questão de escolha ou você vê o copo meio cheio ou meio vazio.

2. Conheça a si mesmo e aos outros.
3. Tenha plena consciência de que depende dos outros para as coisas acontecerem;
4. Tenha consciência de colocar a arte antes do ofício com equilíbrio - sem julgamentos  que ficam no pragmatismo, no racional e se fecha apenas no ofício, na ferramenta no software.
5. Design é conexão entre pessoas gerando felicidade;
6. Design marca a experiência (produto/usabilidade);
7. Tenha consciência de ter (estar ciente do que está fazendo);

8. Mantenha a consciência de intimidade - um design irresistível; a sensualidade ou mistério que envolve seu produto. Não mostre como foi feito! Os designers tem problema com isso, logo vão contando tudo como foi feito. Deixe a magia, o mistério a descoberta no ar! O produto bom é o que você descobre tudo sozinho, então deixe um suspense para que eles (consumidores/clientes) descubram por si mesmos.

O design tem que dar um susto na pessoa. Não mostre, a magia, parem de falar como foi feito!!! É preciso ter mais de dez mil horas para ter intuição e sorte. 

9. Haja com a intuição. A intuição é para ativar desenvolvimento, é como um cara em uma guerra. Não vai dar tempo de ele ler o manual de um avião para sair pilotando. Isso é treino. Quanto tempo está treinando? Sorte tem haver com isso.

10. Questione sempre as anteriores sempre buscando novos propósitos. Olhem o potencial que vocês tem. O meu potencial vem através do design para um mundo melhor.

Acreditem em vocês mesmos esse é o momento para fortalecer o que a gente tem de bom. A mudança vem de vocês. Transforme as pessoas e o que elas tem a oferecer de melhor mesmo que ela nem saiba de toda transformação que podem realizar. É como uma borboleta ela passa pela dor, sofre um processo e se transforma e voa. Se ela acelerar o processo ela nunca voará. Nada vem de graça!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

linkwithin_text='Você pode gostar também:' Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...