PROJETO CHAPAS

Este foi o projeto desenvolvido com chapas para a matéria de Pratica Projetual I da Pontifícia Universidade Católica ministrado pelos professores Paulo d'Assumpção Zaniol e Roger Rieger.

Este projeto consistia em criar objetos simples utilizando chapas.

Projeto de Porta-vinho de Alexandre M. B. Soares e Rafael Garcia de Camargo


Projeto de lixeira de borda de Roger José Mafra Burda


Porta-0bjetos desenvolvido por Rubens Valdir Back
Porta-vinho de Camila Rodrigues da Silva e Thenylli Rosso

Outros projetos desenvolvidos:


DIA NACIONAL DO DESIGNER




O dia mundial do designer é no dia 27 de abril - data de fundação do Icograda). No Brasil, cresce cada vez mais a quantidade de designers gráficos e, pelo que eu vejo, o aumento pela profissionalização desta categoria já reconhecida mundialmente, infelizmente, essa categoria ainda não é tão valorizada no Brasil.
Aloísio Magalhães, nascido em 5 de novembro de 1927.
Sendo um dos designers mais importantes de sua época, Aloísio desenvolveu projetos conhecidos nacional e internacionalmente, como a identidade visual da Petrobrás (alterada há alguns anos), o desenho das notas do cruzeiro novo e o símbolo do IV Centenário do Rio de Janeiro.


Segue abaixo como se deu a criação desse dia no Brasil:


No dia 19 de outubro de 1998, o então Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, assinou um decreto instituindo o dia 5 de novembro como o Dia Nacional do Design, que começou a vigorar a partir da data de sua publicação no Diário Oficial, o dia 20 de outubro do mesmo ano.


Esta data foi instituída em homenagem a um defensor do design no Brasil, o advogado, artista plástico, designer e planejador brasileiro



Participou do grupo de vanguarda “O Gráfico Amador” em Recife, na década de 60. Na mesma época, ganhou os principais concursos brasileiros de desenho de símbolos. Em 1962, participou da criação da Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) e, em 1980, assumiu a Secretaria de Cultura do MEC.


Alóisio Magalhães sempre defendeu conceitos como a “brasilidade” do design e a recuperação da memória artística e cultural brasileira e foi sem dúvida, uma das figuras mais importantes da história do design brasileiro.
Entre seus trabalhos, o design das notas do cruzeiro novo é um dos mais conhecidos. Aloísio acabou com o conceito de “pé” e “cabeça” do dinheiro, criando uma moeda individualizada e reconhecida como inovadora mundialmente e influenciando todo modo de produção monetário no Brasil desde então.


O design brasileiro e a indústria nacional têm muito a agradecer ao empenho de Aloísio Magalhães, pois foi por esforço dele que hoje podemos identificar um avanço no entendimento do significado do design pelo empresariado. Este entendimento vem se reafirmando pelos resultados vivos obtidos pela indústria nacional através da efetiva inserção do design nos processos produtivos como ferramenta fundamental no desenvolvimento de seus produtos e, pela sensível percepção dos resultados traduzidos na rentabilidade da produção, na racionalização de processos, na melhor adequadação de materiais e na preocupação com o impacto dos produtos no meio ambiente.A mistura de todos estes fatores remete a uma produção caracterizada pelos diferenciais necessários para o aprimoramento do padrão de qualidade do produto nacional e para o bom desempenho na sua comercialização nos mercados interno e externo.


A busca pela “brasilidade” nos produtos como identidade começou com a visão futurista do designer Aloísio Magalhães e vem se reafirmando a cada dia através do esforço dos profissionais de design e do bom entendimento da indústria.


Confira, abaixo, o decreto que instituiu o Dia Nacional do Design:


DECRETO DE 19 DE OUTUBRO DE 1998
Institui o “Dia Nacional do Design”, e dá outras providências.O PRESIDENTE DA REPÚBLICA , no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso II, da Constituição, DECRETA:Art 1º Fica instituído o “Dia Nacional do Design “, que será comemorado no dia cinco de novembro de cada ano.Art 2º Caberá ao Comitê Executivo do Programa Brasileiro do Design - PBD a coordenação das atividades relacionadas à comemoração do “Dia Nacional do Design”.Art 3º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.


fonte: realdesignez.alojagratis.org


Então não resta dúvidas, parabéns a todos os designers! Aproveitem o seu dia!

TENDÊNCIAS DO DESIGN



Design ainda é a grande diferença.


A todo momento se discutem tendências, mas nem sempre se chega a algum lugar. É lógico que o fato de se discutir já é uma reflexão positiva e orientadora dos caminhos que acabam sendo tomados e, portanto o discutir, questionar e reinventar é na verdade a grande tendência.


Porém antes de analisarmos as tendências do design, sabemos que a importância dele cresce a cada dia. Com a customização de produtos, a massificação das marcas, o alinhamento das tecnologias e a globalização dos costumes, entre outras influências como a economia e a renda da população - que cai no Brasil, mas sobe no primeiro mundo - sabemos que a diferença mesmo ficará cada vez mais ao encargo do design. Tanto na inovação formal, quanto na renovação e adaptação dos produtos às transformações dos hábitos, perfil e biotipo da sociedade de consumo. Alguns caminhos já podem ser sentidos e que vão transtornar o mercado nos próximos 10 anos.


A obesidade é uma epidemia sem precedentes, silenciosamente vai "alargando" o mercado, móveis, roupas, meios de transportes, o lazer, o turismo, enfim, muita coisa deve ser ajustada sob pena de: se não servir, não se consumir.


A juventude chega aos 50 anos. Afinal ninguém quer ficar velho e muito menos parecer velho. Assim o mercado de saúde, roupas, esportes, academias, e outros destinados à manutenção da forma física é um grande e cada vez mais crescente filão. Se a química e a medicina vão mantendo a função, o design não pode deixar a peteca da forma cair.


Mulheres no poder, mudam as coisas. Elas querem mais, melhor, mais prático, simples e barato. Porém sutil, sofisticado, sensível, suave e com valor. Tudo bem. Nós homens, concordamos com "quase" tudo, só que elas tem um jeito especial de ver as coisas e nós temos que aprender com isso.


A tecnologia bate à nossa porta, invade nossa casa, muda nossos hábitos, nossas despesas, concorre com nossa liberdade e nos faz escolher, entre comer mais ou falar menos no celular. Ir ao cinema ou comprar um computador novo. Ver um show daquela grande banda ou ver o show que é navegar em banda larga. Wired ou wireless. Top less ou Laptop. High tech ou high touch.


A segurança ou a insegurança também é outro fator alarmante. Por estarmos cada vez mais inseguros, com o crime ou com o terror, investimos em câmeras, alarmes, películas e as mais variadas proteções para ver se ficamos mais protegidos, invisíveis, discretos, vendo tudo ser sermos vistos. BBB full time...


Assim também cada vez mais se trabalha em casa, cada vez mais o trabalho se parece com a nossa casa, ou nossa casa vai ficando com cara de escritório. Escrevo este artigo agora, às 20 horas, do meu escritório... que já está virando a minha casa. O mercado SOHO - Small Office and Home Office - é fato na arquitetura, no mobiliário, nas telecomunicações, no vestuário, nos eletrodomésticos e na gente.


Cidades grandes, carros pequenos, ônibus, trens e aviões maiores, mais capacidade em menos volume, mais carga em menor tamanho. Vida loca. Música, Moda, Movimento, Mundo. Cada vez mais igual e ao mesmo tempo sendo e tendo que ser diferente. Neste ritmo frenético com que cara as coisas vão ficar? Com a cara que o designer der.


Contato:

Roger Rieger - Designer, consultor de Marketing e diretor da Rieger brand marketing e Kommdesign. www.brandcare.com.br
linkwithin_text='Você pode gostar também:' Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...